Monday, 10 May 2004

Eu dizia:
“nenhuma brisa é triste”,
e procurava água, lábios,
um corpo
onde a solidão fosse impossível...
(Eugénio de Andrade)


Nikon F50, Kodak Ektachrome 100 ISO, 2004

Sinto que ainda estou a descobrir a vida como ela é, por vezes dura, nem sempre um canto quente e aconchegante... e quando acontece ela abalar o meu ser, tenho de reagir muito mais violentamente do que gostaria... e é tão difícil!

No comments: