Friday, 19 April 2013

Como um fio...

"Talvez tudo já esteja secretamente perdido de antemão, num qualquer lugar remoto. Ou então existe um sítio onde todas as coisas desaparecem, fundindo-se umas nas outras, até formar uma única imagem. E, à medida que vamos vivendo, mais não fazemos do que descobrir - puxando-as para nós, umas atrás das outras, como quem desenrola um fio muito fino - tudo o que ficou para trás. Fechei os olhos e esforcei-me por me lembrar do maior número possível de coisas belas que tinham desaparecido da minha vida. Esforcei-me por chamá-las a mim, retê-las entre as mãos, mesmo sabendo que a sua existência seria efémera."

(Haruki Murakami, in Sputnik meu amor)

Bom fim-de-semana!

2 comments:

Anonymous said...

A efemeridade das coisas é dada apenas por nós...temos essa capacidade...só nós podemos tudo que queremos para a nossa vida...né,bem?

Adriana Oliveira said...

É isso mesmo :)